MANEJO E CONTROLE DE TIRIRICA
EMBRAPA EPAMIG CODEVASF JAÍBA

  • INTRODUÇÃO

  • A tiririca, uma das principais plantas daninhas, possui um conjunto de bulbos, rizomas e tubérculos subterrâneos, interligados em forma de corrente, de onde surgem as folhas e as hastes florais. Os tubérculos são produzidos nos rizomas e, quando brotam, uma ou mais gemas começam a crescer, produzindo novas plantas com mais tubérculos, garantindo a reprodução e a disseminação da tiririca.

    A maior parte dos tubérculos (80%) é formada nos primeiros 20 centímetros de profundidade do solo e pode ficar dormente por longos períodos de tempo, sendo que quanto maior for a profundidade em que estiverem os tubérculos, maior será o seu tempo de sobrevivência no solo.

  • OCORRÊNCIA

  • A tiririca está presente no mundo todo, principalmente em países tropicais e subtropicais, onde encontra condições ideais para o seu desenvolvimento.

  • DISSEMINAÇÃO

  • A tiririca se dissemina através de:

  • PREJUÍZOS

  • A tiririca reduz a produção agrícola em 40 por cento, em média, podendo chegar a 90 por cento, no caso de hortaliças.

  • MANEJO INTEGRADO DA TIRIRICA

  • As técnicas de manejo da tiririca baseiam-se na inibição da formação de novos tubérculos e/ou da brotação destes, e podem ser: prevenção, controle e erradicação.

  • EVITAR A DISSEMINAÇÃO É SEMPRE O MELHOR REMÉDIO!

  • "PREVENIR É SEMPRE A MELHOR OPÇÃO!"


    Equipe Técnica:

    Welington Pereira, Embrapa Hortaliças
    Dejoel de Barros Lima, Embrapa Hortliças
    Túlio Gonçalves de Melo, Embrapa Hortaliças
    Angelo Giovani Rodrigues, FEMO/EPAMIG


    Embrapa Hortaliças
    Ministério da Agricultura e do Abastecimento
    Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
    Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças
    BR 060 Km 09 Brasília/Anápolis
    Caixa Postal 218
    CEP 70359-970 Brasília, DF
    Fone: (061) 556-5011
    Fax : (061) 556-5744

    Voltar        Topo