CEBOLA DE VERÃO

  • Introdução
  • Sistema de cultivo
  • Preparo do solo
  • Recomendações de adubação
  • Irrigação
  • Controle Fitossanitário
  • Controle de plantas daninhas
  • Colheita
  • Equipe
  •  

     


  • INTRODUÇÃO
  • Durante qutro anos, A EPAMIG e a EMBRAPA conduziram experimentos para a produção de bulbos na entressafra, sem usar o processo de bulbinhos.
    A fase de teste ocorreu na fazenda experimental de Mocambinho (FEMO), da EPAMIG, no Norte de Minas e no Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças (CNPH) da EMBRAPA, em Brasília. As populaçoes testadas foram desenvolvidas pelo CNPH e pela Embrapa Pernambucana de pesquisa Agropecuária (IPA).
    O cultivo da cebola de verão caracteriza-se pela semeadura no período de 15 de novembro a 15 de dezembro, com colheita prevista para o início de abril.

     

  • SISTEMA DE CULTIVO
  • Semeadura Direta

    - Usar 3 Kg/ha de sementes. Na semeadura mecanizada - espaçamento de 30-35cm entre fileira.

    Transplante de mudas

    - Semear 4g de sementes/m2 de sementeira;
    - Mudas de sementeira: devem ter 2 a 3 folhas novas, com 35 dias de idade;
    - Espaçamento de 30-35cm entre fileiras e de 5cm entre plantas.

    Nota: Mudas mais velhas (40-45 dias), usadas no verão e com diâmetro de 0,5cm, indicadas para outras épocas de plantios, reduzem a produtividade em até 50%.

     

    É um fator de grande importância para a obtenção de altas produtividades, especialmente tratando-se de semeadura direta. O solo deve ser preparado com arado, à profundidade de 20-25cm, seguido por gradagens para destorroamento.

    Subsolagem

    Nos terrenos onde há excessivo uso de maquinário agrícola, pode surgir o aparecimento de "pé de grade" (camada de solo compactada). Em algumas áreas do projeto Jaíba, é imprescindível, antes da implantação da cultura, o uso de um subsolador.

     

    Sementeira

    Devem-se aplicar 200g de superfosfato simples e 5 Kg de esterco de galinha bem curtido por metro quadrado de sementeira. A adubação em cobertura, quando necessária, deverá ser feita com nitrocálcio, na dose de 10g/m2.

    Campo

    A adubação química básica, tanto para a semeadura direta, como para o sistema de transplante, deve estar de acordo com a análise do solo. Deve-se procurar um técnico do Projeto de Irrigação do Jaíba ou da EPAMIG, para apicação da dose correta.
    O solo deve ter uma boa disponibilidade de cálcio e magnésio, conseguida com o uso de calcário dolomítico, na dose indicada pela análise de solo, ajustando-se o pH em torno de 6,0. Nesse pH, o alumínio tóxico é também inativado.

    Adubação de plantio

    Fórmulas com 4-14-8 ou o superfosfatosimples são indicados por possuírem elementos, como o enxofre, importantes para a cultura.

    Modo de aplicação do adubo fosfatado

    Pelo fato de o sistema radicular da cebola ser pouco ramificado, a aplicação do fósforo deverá ser feita sempre abaixo da linha de sementes (semeadura direta) ou no fundo do sulco de transplante. Assim, as raízes poderão absorver esse elemento, que é de baixa mobilidade no solo.

    Adubação em cobertura

    Tanto o potássio como o nitrogênio podem ser utilizados em cobertura. É recomendada a utilização de sulfato de amônio (nitrogênio), parcelado em 4 ou 5 aplicações, perfazendo um total de 450 Kh/ha. O parcelamento na época chuvosa é preconizado, visando evitar a perda de nitrogênio por lixiviação.

    Micronutrientes

    Os micronutrientes podem ser supridos com 3 ou 4 aplicações em pulverizações com a calda Viçosa. Para o seu preparo correto, deve-se consultar um técnico da EPAMIG ou a Assistência Técnica do Projeto Jaíba.

     

    Principal doença: mancha-púrpura ou requeima.

    Características: No início, surgem manchas pequenas, esbranquiçadas e irregulares. Depois, manchas maiores, na cor púrpura (arroxeada), nas áreas concêntricas.

    Prevenção: Pulverizações alternadas com Maneb e Iprodione.

    Recomendações: Procurar a assistência técnica ou a EPAMIG, em caso de ocorrência de pragas e doenças.

     

    Controle

    - Capinas manuais

    - Capinas mecanizadas

    - Herbicidas (em áreas maiores)

    Herbicidas recomendados

     

    Época: o pescoço torna-se macio e a parte aérea tombada (estalo).

    Condição: mais de 60% das plantas estiverem estaladas.

    Técnica: pode ser feita manualmente ou com auxílio de uma lâmina paralela ao solo, tracionada pelo trator.

    Após o arranquio: deixar as plantas no sol (3 a 4 dias); colocar os bulbos em fileiras (maços); proteger os bulbos com as folhas do próximo maço (evitar queimaduras); fazer toalete; cortar a parte aérea 2cm acima do bulbo e aparar as raízes.

    Classificar os bulbos: seguir as normas do mercado

    Embalar: Em sacos de polietileno de 20 Kg, cor vermelha (preferencial); usar em cada saco bulbos de diâmetros semelhantes.


    Equipe:

    Embrapa Hortaliças

    Marcelo de Targa Araújo, Engº Agrº, Ph.D., Embrapa hortaliças
    Ângelo Giovani Rodrigues, Engº Agrº, M. Sc., Epamig
    Henoque Ribeiro da Silva, Engº Agrº, Ph.D., Embrapa hortaliças
    Maria Helena Tabim Mascarenhas, Engº Agrº, M. Sc.., Epamig


    Embrapa Hortaliças
    Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
    Embrapa Hortaliças
    Ministério da Agricultura e do Abastecimento
    BR 060 Km 09 Brasília/Anápolis - Caixa Postal 218
    CEP 70359-970 Brasília, DF
    Fone: (061) 385-9000   Fax : (061) 556-5744
    sac.hortalicas@embrapa.br
    www.cnph.embrapa.br

    Voltar        Topo