MANDIOQUINHA-SALSA "AMARELA DE SENADOR AMARAL"


  • ORIGEM

  • ‘ Amarela de Senador Amaral ‘ é uma cultivar de mandioquinha-salsa desenvolvida através de seleção de clones originários de sementes botânicas coletadas no sul de Minas Gerais, oriundas do material tradicionalmente cultivado. ‘Amarela de Senador Amaral’ vem sendo avaliada e caracterizada desde 1993 pela Embrapa Hortaliças, por produtores rurais e Instituições de Pesquisa e Extensão rural de diversos Estados brasileiros.

    Dentre as vantagens observadas em relação ao material tradicionalmente cultivado no país, destacam-se a alta produtividade de raízes comerciais (superior a 25 t/ha), com qualidade superior; a coloração de polpa amarela intensa; a precocidade de colheita e arquitetura de planta ereta, mantendo-se as características peculiares do material tradicionalmente cultivado, como o aroma típico e o sabor adocicado.

  • CARACTERÍSTICAS
  • Cor da raiz Amarela intensa
    Arquitetura da planta Ereta
    Comprimento médio de raízes 15 a 20 cm
    Reentrâncias ao longo do comprimento das raízes Poucas
    Formato de raízes Retilíneo com ponta oblonga
    Número médio de raízes comerciais/planta 5 a 7
    Produtividade média Superior a 25 t/ha
    Início da colheita A partir de 8 meses
    Processamento como fritas (chip’s) Não adequado
    Áreas recomendadas para cultivo (até 06/98) Estados de MG; PR; SC; RJ; SP e ES, em áreas tradicionais
    Cor da folha Verde escura
    Cor da nervura Verde
    Cor da inserção do folíolo Verde
    Cilindro central (xilema) Amarelo, pouco saliente
    Altura de planta Mediano
    Cerosidade do pecíolo Presente
    Cor da base do pecíolo Violeta avermelhada
    Cor do pecíolo Violeta Marron (até quase à inserção da folha)
  • RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA O CULTIVO DA MANDIOQUINHA-SALSA

  • O solo deve ser preparado através de aração e gradagem seguidas pelo plantio em leiras, em nível, para maior facilidade de colheita, o que constitui também uma excelente prática conservacionista. A adubação de plantio deve ser realizada em função da análise do solo, sendo recomendado apenas o uso de fontes de fósforo, potássio, zinco e boro. O plantio desta hortaliça deve ser realizado por mudas previamente enraizadas. Para tal, os filhotes são destacados de touceiras de plantas sadias, que ainda não perderam a folhagem, com no máximo 10 meses de idade, e cortados em bisel simples, por lâmina fina e bem afiada. O ideal é utilizar uma área de plantio destinada unicamente para a produção de mudas, independente da área de produção comercial. Com o pré-enraizamento, é possível selecionar mudas mais vigorosas para a instalação da lavoura comercial. Em cobertura , 30 dias após o transplante das mudas, aplicar de 50 a 60 kg/ha de N. A cultura deve ser irrigada durante o período de estiagem e mantida livre de plantas daninhas até a total cobertura do solo. Demais tratos culturais podem ser encontrados na Instrução Técnica nº 10, da Embrapa Hortaliças e seu plantio pode ser efetuado em qualquer época do ano, em áreas de cultivo tradicional.

  • MUDAS

  • Mudas da cultivar (50 por pedido) poderão ser obtidas na Embrapa Hortalicas a partir de março de 1999, por ordem de chegada, até se esgotarem as quantidades disponíveis.

    Eng. Agr. Fausto Francisco dos Santos
    Pesquisador Embrapa-Hortalicas


    AGRADECIMENTOS

    Aos que participaram e colaboraram no acompanhamento dos testes e/ou nas avaliações de campo e/ou de laboratório durante o processo de validação e/ou na difusão do clone CNPH-92739, e aos demais produtores e técnicos que direta ou indiretamente colaboraram.

    Pesquisadores

    Ana Cristina P. P. de Carvalho - Pesagro-Rio
    Antonio Willians Moita – Embrapa Hortaliças
    Carlos Alberto Lopes – Embrapa Hortaliças
    Carlos Alberto Simões do Carmo – EMCAPA
    Carlos Alberto Scotti - Fundação IAPAR
    Dejoel de Barros Lima – Embrapa Hortaliças
    Gilmar Paulo Henz – Embrapa Hortaliças
    João Maria Charchar – Embrapa Hortaliças
    José Octávio de Lima Muniz – EPACE
    Leonardo de Brito Giordano – Embrapa Hortaliças
    Marco Antônio .Almeida Leal - Pesagro-Rio
    N. Dessaune Filho – EMCAPA
    Sieglinde Brune – Embrapa Hortaliças
    Silvana Catarina S. Bueno - NPM-CATI
    Vinicius Vitoi Silva - Pesagro-Rio
     

    Extensionistas

    Carlos Rogério de Souza - EMATER-MG
    Gerson Luiz Gessner – EPAGRI
    Iniberto Hammerschmidt - EMATER-PR
    Luis Gomes Correa - EMATER-MG
    Laércio de Júlio – EMATER-DF
    Raul Maria Cássia - EMATER-MG
    Roberto Beppler Neto – EPAGRI

    Engenheiros Agrônomos

    Geraldo Paulino
    José Daniel R. Ribeiro

    Produtores

    Alcino Pereira da Silva – Minas Gerais
    Álvaro Luis Bizzoni – Minas Gerais
    José Rubens Altoé – Distrito Federal
    Marto Silva de Andrade – Minas Gerais
    Paulo Schell – Santa Catarina
    Vitor M. Targa – Espírito Santo


    Embrapa Hortaliças
    Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
    Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças
    Ministério da Agricultura e do Abastecimento
    BR 060 Km 09 Brasília/Anápolis - Caixa Postal 218
    CEP 70359-970 Brasília, DF
    Fone: (061) 385-9000   Fax : (061) 556-5744

    Voltar        Topo